Murilo Mendes Ruela

A Secretaria de Cidadania e Justiça (Seciju), por meio da Gerência352937_1000 de Prevenção Sobre Drogas em parceria com Conselho Estadual Sobre Drogas, tornou público, nesta segunda-feira, 19, o resultado preliminar para seleção de pessoa física ou jurídica sem fins lucrativos para desenvolver atividades culturais (teatrais e circenses), conforme o Edital de Chamamento Público Nº 01/2017.

Na categoria de grupo teatral, a Companhia de Pesquisas e Produções & Suggestus – Produções (Cenaberta) foi selecionada. Já na categoria de grupo circense, a CIA OS KACOS foi escolhida. O resultado preliminar pode ser conferido aqui.

Os inscritos podem interpor recursos até os próximos cinco (05) dias úteis, contados a partir da publicação do resultado preliminar, de acordo com o item 5 do Edital. Os recursos devem ser protocolados na Secretaria de Cidadania e Justiça, na Esplanada das Secretarias, Praça dos Girassóis, Plano Diretor Sul.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (63) 3218-6728.

Fonte: SECIJU

O Departamento de Gestão da Educação na Saúde – DEGES/SGTES e a Coordenação Geral de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas – CGMAD/DAET/SAS, do Ministério da Saúde, por meio do Sistema Universidade Aberta do SUS/UNA-SUS, em parceria com a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), abrem inscrições para a Turma/2017 da 5ª Edição e última do curso:
Álcool e outras drogas, da coerção à coesão.
São 3.000 vagas para profissionais de nível médio ou técnico e superior completo.
– Início das Inscrições para 5ª edição: 16/06/2017
– Término: 20/07/2017.

Continue lendo

 

O Governo do Estado inaugurou, na tarde dessa segunda-f351913_1000eira, 12, mais uma importante obra para sociedade tocantinense: o Núcleo de Atenção à Pessoa com Dependência Química (Núcleo Acolher – Um Recomeço). O objetivo é oferecer recuperação aos dependentes químicos, por meio de atendimentos e orientações especializadas, bem como inclusão nos grupos de ajuda mútua e articulação dos serviços públicos, a fim de possibilitar a reinserção social. A obra custou, aos cofres públicos, R$ 645 mil reais.

Para a vice-governadora do Tocantins, Cláudia Lelis,351912_1000 “O Acolher é uma das ações que nós estamos propondo, é um passo importantíssimo. É um espaço, onde, não só os dependentes químicos, mas também os familiares vão poder ser atendidos e vão ter um atendimento bem diversificado. Teremos assistente social, psicólogo, psiquiatras que vão poder dar todo esse suporte. A gente sabe que o governo do Estado e os seus parceiros estão fazendo a sua parte, mas sabemos também da relevância da participação da família que é um elo muito forte. Esse é um problema que atinge a todos não e é justamente por isso que nós precisamos da participação ativa da sociedade como um todo, dos poderes constituídos, desses profissionais e, especialmente, da família”, enfatizou a vice-governadora.   Já para a secretária Gleidy Braga, o Núcleo Acolher é uma estratégia da Secretaria da Cidadania e Justiça para atendimento às pessoas com dependência química. “A ideia não é atender continuamente essa pessoas, mas ser a primeira porta de entrada para a rede de atendimento, nós vamos acolher. O nome não é por acaso, pois é de acolhimento para, a partir da análise do caso concreto, estabelecermos qual a melhor estratégia encaminhando-o para rede municipal, para rede estadual, para uma comunidade terapêutica. Queremos acolher com muito amor, carinho e com técnica. Eu acredito muito nesta articulação da técnica com profissionais capacitados que vão estar atuando com o propósito de oferecer um parecer técnico de encaminhamento para que essa pessoa possa ter efetivamente um tratamento, uma oportunidade de escolha”, explicou a gestora.

Continue lendo

 

351146_1000

Cumprindo o lema de boas e novas notícias, em 2017, o Governo do Estado inaugurará, na próxima segunda-feira, 12, o Núcleo de Atenção à Pessoa com Dependência Química (Núcleo Acolher – Um Recomeço). A solenidade acontece às 17h, na 704 Sul, Alameda 20, Qi 24, lt 22 e será aberta à toda a comunidade para visitação.

Oriundo de um convênio com o Ministério da Justiça, o Núcleo Acolher é um projeto do Governo do Estado, desenvolvido pela Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju) em funcionamento desde junho de 2016. O objetivo é oferecer recuperação aos dependentes químicos, por meio de atendimentos e orientações especializadas, bem como inclusão nos grupos de ajuda mútua, articulação dos serviços públicos, a fim de possibilitar a reinserção social.

“Estamos com o Núcleo Acolher para fortalecer a rede de atendimento às pessoas com dependência química e seus familiares. Acreditamos que um serviço de qualidade feito com muito amor pode resgatar vidas e corrigir trajetórias de abandono”, disse a secretária Gleidy Braga sobre a importância da inauguração do espaço.

O Acolher conta com uma equipe de atendimento multidisciplinar, composta por psicólogo, assistente social, profissional da enfermagem e psiquiatra. Nesse ponto, as famílias também serão atendidas e receberão orientações.

Serviços

Os serviços a serem feitos envolvem acolhimento e orientação das pessoas a serem atendidas e seus familiares; articulação de encaminhamento; facilitação ao acesso nas comunidades terapêuticas, clínicas e rência de Assistência Social (CRAS) para o tratamento dos pacientes, além da aplicação de testes rápidos, como Hepatite B e C, Anti- HIV 1 e 2 e Sífilis.

De acordo com o gerente de Prevenção sobre Drogas, José Américo Junior, o Núcleo será um centro de referência sobre drogas. “O Núcleo Acolher será uma referência tanto para pessoas com dependência como para seus familiares, pois reunirá informações orientações e a possibilidade de encaminhamento em um só lugar, onde eles poderão procurar ajuda e serem acolhidos da melhor maneira possível, de modo a facilitar a vontade de realizar o tratamento e serem recuperados”, explica.

Comunidades Terapêuticas

Outra ação da Seciju, por meio da Gerência de Prevenção sobre Drogas, é amparar as pessoas com maior vulnerabilidade social em decorrência do uso indevido de drogas, nas comunidades terapêuticas. Para isso, foram estabelecidos critérios de inclusão do dependente químico para seu tratamento e recuperação, sendo eles: condições psicológicas (estado mental) e condições socioeconômicas.

Ao todo, são ofertadas 40 vagas gradualmente em cinco instituições, sendo elas: Fazendas da Esperança, em Palmas, Lajeado e Porto Nacional; RHEMA, no Setor Taquari, em Palmas e Leão de Judá, na saída para Aparecida do Rio Negro, também na Capital. São oito vagas para cada comunidade terapêutica, que vão ofertar terapia psicológica e espiritual a fim de recuperar o dependente químico e relembrá-lo da chance que ele tem de transformar a si e a sua própria vida.

Repasse

O Ministério da Justiça e Segurança repassou ao governo do Estado R$ 600 mil para a execução do projeto que, em contrapartida disponibilizou R$ 45 mil para equipar o local, bem como para locar o espaço e para contratar a equipe técnica.

18920496_668912126635026_5041682470301059637_n

Gente, o governo do Estado irá inaugurar mas um serviço para os dependentes químicos e seus familiares Quem quiser conhecer mais sobre os serviços oferecidos é só aparecer la e ficar por dentro de tudo o que será trabalhado junto a população.  A inauguração é na segunda-feira, não percam!

 

Uma das comunidades terapêuticas credenciadas ao Governo do Estado é o Serviço Especial de Reabilitação Ser Livre - Luciano Ribeiro/Governo do Tocantins - See more at: http://secom.to.gov.br/noticia/2017/5/4/nucleo-acolher-divulga-pesquisa-sobre-perfil-de-pessoas-com-dependencia-quimica-no-tocantins/#sthash.TjKRlRPd.dpuf

Uma das comunidades terapêuticas credenciadas ao Governo do Estado é o Serviço Especial de Reabilitação Ser Livre – Luciano Ribeiro/Governo do Tocantins

 

O Núcleo Acolher, de atenção à pessoa com dependência química, divulgou, recentemente, o relatório de atendimentos, onde apresenta dados sobre o perfil das pessoas em estado de dependência química que são atendidas pelo Governo do Estado, por meio da Gerência de Prevenção às Drogas da Secretaria de Estado da Cidadania e da Justiça (Seciju), em parceria com as comunidades terapêuticas. Os dados são referentes aos atendimentos realizados de junho de 2016 a abril de 2017 e preveem resultados a partir de sexo, idade, raça e tipos de doença. Também foi considerado na pesquisa o resultado de testes rápidos de doenças sexualmente transmissíveis.

De acordo com o relatório, realizado por meio das respostas dadas na triagem que o Núcleo Acolher faz ao receber uma pessoa para posterior encaminhamento, foram realizados 52 atendimentos desde o início do seu funcionamento, sendo 45 homens e sete mulheres. Desses, 14 foram encaminhados para outros órgãos e/ou instituições municipais e, por isso, não entram na tabulação dos dados finais.

Continue lendo