Geral 23/11/2017 - 14:19 - Lauane dos Santos/Governo do Tocantins

Pesquisa sobre o perfil de dependentes químicos no Estado é entregue ao Ministro Osmar Terra e Governador Marcelo Miranda

Reitora entrega pessoalmente o relatório completo da pesquisa feita durante um ano pelos professores pesquisadores da Unitins Reitora entrega pessoalmente o relatório completo da pesquisa feita durante um ano pelos professores pesquisadores da Unitins - Ademir dos Anjos/Governo do Tocantins
Reitora entrega pessoalmente o relatório completo da pesquisa feita durante um ano pelos professores pesquisadores da Unitins. Reitora entrega pessoalmente o relatório completo da pesquisa feita durante um ano pelos professores pesquisadores da Unitins. - Ademir dos Anjos/Governo do Tocantins
Pesquisa domiciliar e institucional sobre consumo de álcool e outras drogas no estado do Tocantins realizada pela Unitins. Palestrante: Alessandra Ruita Santos Pesquisa domiciliar e institucional sobre consumo de álcool e outras drogas no estado do Tocantins realizada pela Unitins. Palestrante: Alessandra Ruita Santos - Tamires Rodrigues/Governo do Tocantins

O Governo do Tocantins, por meio da Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju) e Universidade do Tocantins (Unitins), realizou um estudo de realidade social em 69 municípios tocantinenses para mapear perfil e quantidade dos dependentes químicos no Estado. O relatório completo da pesquisa, disponível no site oficial do Observatório Tocantinense de Informações sobre Drogas, foi entregue pela reitora da Unitins, Suely Quixabeira, ao ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, ao governador Marcelo Miranda e também ao secretário da Seciju Glauber de Oliveira, na manhã desta quinta-feira, 23, durante a solenidade de abertura do Congresso Estadual de Políticas sobre Drogas.

A pesquisa fim de Identificar e mapear o perfil socioeconômico do usuário de drogas e as políticas públicas de atenção nas microrregiões no estado do Tocantins. Além do mapeamento do número de usuários existentes no Estado, a pesquisa também teve como principais objetivos traçar um perfil socioeconômico e familiar dessas pessoas com dependência química, conhecer os tipos de drogas mais consumidas nas microrregiões analisadas e identificar, nas instituições locais, os tipos de serviços referentes à prevenção, ao tratamento e à reinserção social sobre álcool e outras drogas que são oferecidos à população dos municípios tocantinenses.

O secretário Glauber de Oliveira frisou a importância de pesquisas como estas para dar embasamento ao trabalho já executado pelo Estado. “Ter dados verídicos, coletados com tanta precisão, é um aparato importante para continuarmos a trabalhar, com mais afinco, no combate as drogas em todo o Estado”, disse.

Para o superintendente de Ações sobre Drogas, José Américo Júnior, o estudo auxiliará o Estado a criar mais políticas públicas sobre drogas. “Após cerca de um ano de estudo, em 69 municípios tocantinenses, com entrevistas de porta em porta, temos em mãos os resultados que nos ajudarão a construir e reconstruir mais políticas públicas sobre drogas, de acordo com as maiores fragilidades regionais, contemplando todos os eixos da política”, explicou o gestor da área.

“Nesse contexto, não somente o Estado tem um papel primordial na execução das políticas, mas a sociedade civil é essencial, pois é por meio da discussão das pessoas e órgãos envolvidos que se transformam em propostas que a política pública pode existir, ser consolidada e realmente ser efetiva, de acordo com a necessidade de cada região”, apontou José Américo sobre a importância da união de todos os atores sociais envolvidos na política.

Metodologia

Sobre o público para compor a análise da pesquisa, foram entrevistadas pessoas com idade entre 18 e 69 anos, pertencentes ao núcleo familiar do domicílio visitado, que aceitaram participar da pesquisa Participaram ainda da pesquisa, respondendo o questionário institucional, técnicos gestores com mais de um ano de trabalho nas Secretarias de Saúde e Assistência Social municipais, Delegacias de Polícias, Cadeias Públicas e Quartéis.

Como explicitado no relatório da pesquisa, o trabalho de elaboração perpassou as demandas e necessidades apontadas pela Secretaria Estadual de Cidadania e Justiça e seus questionamentos a serem respondidos por meio da realização desta pesquisa, como o perfil socioeconômico dos usuários de álcool e outras drogas, as drogas mais consumidas pelas pessoas pesquisadas e quais as políticas de atenção desenvolvidas nos 69 municípios. Foram a partir das necessidades encontradas pela equipe da Seciju que os objetivos da pesquisa foram traçados e executados de modo exemplar pelos pesquisadores da Unitins. Acesse o relatório da pesquisa na íntegra e saiba mais.

Apresentação

Na tarde desta quinta, 23, durante a programação do Congresso Estadual sobre Drogas, o relatório também foi apresentado aos congressistas participantes, pela coordenadora da pesquisa, professora Alessandra Ruita Santos. Também foi aberto um momento de perguntas correspondentes a pesquisa apresentada para maior entendimento da execução da pesquisa e dos resultados.